Dois filhos


Eu sempre tive muito medo de ter outro filho.
Parecia que eu não seria capaz de amar outro filho q não fosse a Laura.
Eu tinha medo de não conseguir e realmente nunca me vi mãe de outra criança que não fosse a Laura.
Mas, um dia, olhei para a minha filha e vi que ela não era mais tão criança assim, sua infância estava praticamente no final e vi o quanto é ruim às vezes ser mãe tão precocemente. E olha q nem foi tão precoce assim, eu já tinha 22 anos.
Mas, a minha filha estava então com 9 anos, eu com 31 e tudo estava passando tão rápido, sentimos falta de mais alguém entre nós.
Eu não queria ficar sozinha com meu marido tão cedo [claro q penso e crio minha filha para ir embora daqui um dia].
E foi aí então que tínhamos um novo ser em nossas vidas.
Qdo surge outro membro na família, a gente fica se perguntando como serão as atitudes e como reagirão as pessoas q já fazem parte da família.
Eu tive muito, muito cuidado para a Laura, mesmo já grandinha, não sofresse com a chegada do Artur.
Li muitas coisas, fiquei perto dela o quanto eu pude, passeamos, saímos juntas, dormimos juntas e fomos muito felizes.
Eu fiquei um grude tão gostoso com ela.
Depois q o Artur veio, eu morria de medo dela sofrer, mas ela enfrentou tudo de uma forma tão maravilhosa, tão surpreendente que a gente nem sentiu.
Eu tentei muito não mudar com ela quando o Artur nasceu, mas infelizmente eu me afastei, não teve como pq Artur já exigia demais desde muito cedo.
Não dormia sem contato físico, não ficava um segundo longe de mim e só aceitou ficar pertinho do papai qdo já tinha uns 4 meses qse.
Foi um sufoco.
Felizmente a Laura é um doce de menina, nunca me cobrou, nunca demonstrou sequer q estivesse sofrendo por ter um irmão, pelo contrário, ela ficou muito, muito feliz, tinha ciúme sim, ciúme de quem chegasse perto de seu irmão querido, idolatrado e tão desejado.
Acho q tivemos outro filho muito mais para atender aos pedidos dela do q por desejar tanto.
Claro q desejamos todos os filhos q tivemos, planejamos meio q loucamente, mas planejamos os dois e foi tudo muito lindo.
A Laura é uma irmã tão fofa, tão atenciosa e o q mais me surpreende é que o fato de ter um irmão especial não mudou nada em sua vida, sequer o tratamento que ela tem com ele q é impecável.
Ela nunca se estressa com ele e qdo ele berra demais e ela não aguenta rsrss ela se afasta.
Mas aquela dúvida, aquele medo de lá no comecinho de ter outro filho e achar q não era possível amar dois filho ao mesmo tempo se foi.
Talvez pq eu confundisse os tipos de amor, talvez pq eu tivesse alguma sensação com relação a outras relacões q eu tive contato.
Mas, hj está tudo bem. hj eu amo os meus dois filhotes maravilhosos.

Filhos queridos, eu amo vcs!!!!
Share |

2 comentários:

Bla bla blás de uma gravidez... on 3 de julho de 2010 13:02 disse...

Que declaração mais linda!

"Parecia que eu não seria capaz de amar outro filho q não fosse a Laura".

Tbm me sentia assim quando tinha só o Gabriel, tinha medo de ter outro e ter que dividir meu amor entre os dois, hoje eu sei que tenho amor sobrando e posso dividir com mais um monte... kkkkkkkk

Beta, uma mulher em transformação on 4 de julho de 2010 11:20 disse...

hoje eu sei que tenho amor sobrando e posso dividir com mais um monte... kkkkkkkk [2]

Se eu pudesse e o dinheiro dessa, eu faria isso sim.

Beijos

O Meu Melhor

Desde o começo

Blog Archive

 

Viagem de mãe ♣ ♣ ♣ Mamanunes Templates ♣ ♣ ♣ Inspiração: Templates Ipietoon
Ilustração: Gatinhos - tubes by Jazzel (Site desativado)