O outro dia


Esses dias depois do q houve foram tão piores qto o momento q presenciei o desprezo com que meu filho foi tratado.
Quando vemos uma reportagem na Tv de uma criança que foi jogada fora pela mãe, por um pai e estuprou  o filho, ou coisas do gênero a gente se pergunta com horror como é que uma pessoa pode tratar uma criança dessa forma.
Eles são doces, meigos, cheios de alegria de viver, nos ensinam tanta coisa.
Não falo de crianças de comercial de fralda, eu falo de qualquer criança, eles são tudo em nossas vidas.
Agora imaginem vcs verem uma criança como o Artur, que não fala, não entende mta coisa, que tem limitações, mas que é doce, carinhoso, beijoqueiro e trata qualquer pessoa com carinho e amor, pq ele não conhece outro tipo de sentimento além desse na casa dele, ser tratada com DESPREZO.
Talvez eu possa estar exagerando na forma de me expressar, mas acredito que eu necessite colocar essa dor horrorosa q me consome nesse momento.
Ver que por mais q ele estivesse sendo olhado, no colo, mas não ter a atenção de ninguém tem sido massacrante pra mim. Ele e um saco de batatas eram a mesma coisa, aliás, sacos de batatas não sujam fraldas.
Mas eu acho q a coisa mais horrível para mim, foi depois de ver tudo o q eu vi, de não chorar, apesar de ter o apoio e o carinho de todos vcs foi ACORDAR no outro dia.
Ver q a vida é cruel com a gente, que as pessoas não amam o q vc ama e que sim, seu filho tão amado, a maior riqueza de sua vida, a sua grande prioridade não passar de um problema pra outros.
Que se eu trabalhasse com crianças como Artur ou qualquer outra limitações, aprenderia a amá-las, procuraria dar o melhor de mim a elas, como profissional e como ser humano, mas que as pessoas não são como eu.
Mas ter q acordar e mandar seu filho para junto de pessoas q não compartilham dessa ideia com vc é como enfiar uma faca no próprio peito.
E foi o que eu fiz. 
Claro que eu preciso acreditar que as coisas vão mudar.
Claro que eu tenho q mandar meu filho pra escola para ele crescer e se desenvolver.
Mas ontem foi FODA!!!
E hj tbm foi.
E amanhã não, mas só pq é sãbado.
Alguma coisa dentro de mim grita de desespero dizendo q não vai passar.
Pode ser trauma da outra vez na outra escola, pode ser q seja pressentimento de mãe.
No momento estou perdida, sem ter o q fazer.
É só um desespero, uma dor, uma luta para não ficar pensando no que meu filho está fazendo, se dão comida direito para ele, afinal, ele leva 45 minutos para comer às vezes.
Fico pensando mil coisase só sinto dor, desespero.
Tem a decepção tbm, eu realmente acreditava que meu filho era tratado com amor naquela escola, achava improvável alguém não tratar meu filho com amor, já q ele emana tanto amor.
Tenho pensado coisas, pensado em mudar coisas, mas por hora são só possibilidades e tem mta água para passar por debaixo dessa ponte.
Aliás, nesse momento, sinto-me sem a ponte. Uma inundação de tristeza a derrubou, estou ilhada, sem chão, sem ponte, sem tento, sem esperanças, a água no pescoço e sentindo uma bigorna amarrada na minha perna.
Drama? Talvez, mas por favor, eu preciso!!
Deixe pelo menos por enquanto eu ser vítima da minha dor, sentir medo da minha luta. Isso não quer dizer q eu vá me esconder dela, não mesmo.
Eu só preciso sofrer, sou assim.



Continue >>>
Share |

Decepções e é só o começo.


Em primeiro lugar:
Não sou uma pessoa ignorante.
Sou precipitada, mas me controlo.
Não sou barraqueira.
Não sou uma mãe iludida.
Quem me conhece aqui, durante esses anos no blog está cansado de ler que EU NÃO CRIO EXPECTATIVAS, EU NÃO FAÇO PROJEÇÕES, MTO MENOS ABSURDAS.
Artur usa Fralda Pampers Total Confort, assim q acorda, colocamos uma fralda limpinha nele, na embalagem diz que dura até 12 horas, como ele é grande, tenho plena convicção que pelo menos 3 horas essa fralda aguenta o xixi dele. Mas...... já recebi bilhete dizendo que Artur chega na escola e a fralda vaza. Enfim, mandei mais uma troca de roupas como pediram, sem questionar. O importante é q ele é bem cuidado na escola.
Fazia mais de 10 dias que Artur não ia para a escola. Sempre assado, com a rinite atacada, ele não avisa qdo faz cocô, tem q olhar toda hora, tem q lavar na hora de trocar, melhor ficar em casa, certo???
Não faço e nunca fiz da escola um depósito de criança. Meu filho vai contra a minha vontade, pq faz parte do tratamento dele.
Eu sequer busco ou levo meu filho na escola, para não criar neuras, não ficar sofrendo, papai sempre leva, sempre pergunta tudo e traz o recado para mim, um amor.
Qdo ele não tinha uma estagiária para cuida exclusivamente dele, eu me descabelei de chorar na Secretaria de Educação e consegui uma.
Artur é uma criança que se não é tratada da melhor forma que um Autista pode ser tratado, ele é tratado com mto, mto amor.
Enfim, hj teve festa Junina na escola. Meu pequeno não ensaiou a dança, não foi para a aula, mas hj, fiz questão de arrumá-lo logo cedo. Costurei sua calça com remendos, não comprei chapéu, ia jogar dinheiro fora, comprei uma camisa fofa e fui trabalhar.
As crianças nem tinham entrado na quadra e eu já tava chorando de ver MEU FILHO TENTANDO INTERAGIR COM O MUNDO DO JEITO DELE, não importava como fosse. Confiei no carinho das pessoas que cuidam dele.
Notei q ao chegar, a professora dele estava mto preocupada com ele no colo, pedindo para chamar alguém, fiquei preocupada, mas logo, mesmo de longe pude notar a sua calça TODA MOLHADA no bumbum. Não, não era um vazamento, a calça estava TODINHA molhada no bumbum, ou seja, ele não era trocado há mto tempo. E se estivesse com cocô?? E a calça que eu costurei com o maior amor e carinho para ele ficar à caráter com as outras crianças?? Foi pro inferno tudo.
Não mandei a calça na bolsa pq pensei: Ah, elas estarão ocupadas na hora, não vão se lembrar de trocá-lo. Affão pra mim!!Bobo ele não é, prefere, mas não é pra isso q ele vai para a escola.
Daí, enquanto esperava para dançar, Artur só ficava no colo. 
Não mando ele pra ficar no colo, ele é ativo, alegre, não estava com medo.
A estagiária que deveria ficar com ele, estava à caráter, toda animada com as crianças e Artur ficou em segundo plano, aliás, era ela quem deveria ir trocar a fralda dele, não a Professora ficar desesperada, deixar as outras crianças de lado para procurar alguém para fazer isso.
Na hora de dançar, máquina, celular em punho e............
Artur lá no fundo da quadra no colo de uma outra estagiária, não a q foi incumbida de ficar com ele. Me enchi, fui lá do lado, chamei e falei: Artur não vai participar?? 
Ela me disse: Ah, ele não quer. 
Eu disse: vc nem foi lá, ele não está nervoso, nem chorando.
Ela entendeu meu recado e o levou para dançar.
Querem saber se eu vi meu filho dançar?
NÃO, EU NÃO VI.
Pq??
Pq enquanto fui falar com a estagiária, fui surpreendida por uma criança deitada no chão. Parecia um Autista como Artur, pior não era isso, o pior é que era lá num canto da quadra com as crianças  todas pulando praticamente em cima dele, com as crianças pisando, as PROFESSORAS, ESTAGIÁRIAS DESVIANDO DO MENINO E NENHUMA FILHA DE DEUS PERFEITO OLHAVA PARA O CHÃO PARA VER QUE ERA UMA CRIANÇA DORMINDO NO CHÃO.  
Como Artur sempre fica deitado no chão, eu entrei em choque, desespero, comecei a gritar alguém, chamar, tava isolado o local para os pais, ninguém me ouvia e pra mim, toda criança é meu filho, qualquer criança feliz, com dor, sofrendo, sendo largada, são todos meus.
Até que uma alma caridosa me ouviu e eu disse: Esse menino, levanta ele pelo amor de Deus, alguém vai pisar nele.
Daí, eis q a criança foi 'recolhida' e ficou no colo.
Meu dia acabou, minha vida acabou, minha segurança acabou.
Dali eu só conseguia pensar em sair e ir direto na Secretaria da Educação. 
Mas sabe como é a vida??
A vida é assim: VC, pobre, rico, fudido de grana, fudido no poder sempre precisa de alguém, nem que tenha que comprá-la, mas eu não tenho grana para comprar ninguém e ainda que tivesse, meu mundo não seria assim.
Eu tive q esfriar meu sangue, tive q respirar, engolir a porra do meu desespero, sim, eu tive q ME ACALMAR para não fazer merda.
Pq amanhã era outro dia e meu filho tinha q continuar vivendo, precisa de professoras, precisa ir para a escola e precisa, ao meu lado continuar fazendo de conta q a PUTA QUE O PARIU DA LEI DA INCLUSÃO EXISTE E É PRATICADA.



Num outro dia, numa outra época da minha vida, eu viria para minha casa e choraria aqui, no face, no raio q o parte, deixaria meu sangue esfriar e não falaria nada.
Mas eu jurei a mim mesma que desde a outra escola jamais faria isso novamente.
A festa acabou, peguei meu filho e fiz piquete na porta da diretora.
Sim, chamei ela e reclamei de tudo, da fralda molhada, da estagiária empolgada que esqueceu de seus afazeres, da falta de vontade de ajudar Artur interagir na dança, reclamei de tudo.
Antes de tudo, pedi desculpas caso eu me excedesse durante a conversa. Mas desabei.
To orgulhosa de mim, não fui grossa, não fui arrogante, falei q minhas reclamações eram feitas pelo bem estar do meu filho. É o meu maior tesouro. Que minhas reclamações são solicitações de melhores cuidados. Eu quero mudanças!!!


O meu dia acabou, o meu mundo acabou!!!
Vontade de chorar entalada lá no fundo do peito, as lágrimas brotam e secam nos meus olhos e alguém, alguma coisa não me deixa chorar.
O choro seria de exaustão, não quero me sentir exausta,  é cedo ainda, temos uma vida inteira.
Eu jurei q o mundo ia aceitar meu filho e é assim que vai ser, pq não tem como meu filho não aceitar o mundo se não for assim.
Talvez pelo trabalho que eu tinha, eu desisti de me decepcionar com algumas coisas, deixei de acreditar no "sistema", mas isso não significa nunca, jamais que eu vá 'pedir pra sair', sou malandra que está ficando calejada, tem tapas na cara, chutes no traseiro que eu nem sinto mais. FODA-SE.
Eu lutarei contra o sistema, não para mudá-lo bruscamente, não acreditando que eu vá mudar as pessoas, o mundo, os políticos, eu lutarei contra o sistema falho apenas para meu filho ter qualidade de vida. Mas, como eu disse que eu sou mãe de todos os filhos, vou lutar contra o sistema pelo NOSSO filho tbm.
Ainda não é hora de desabar de chorar, por hora, vou aqui, me equilibrando, equilibrando as lágrimas no olho, escapa uma aqui, outra ali, mas o amor pelo meu filho, a doçura do meu filho, a vida que Deus escolheu para mim, nunca vai me fazer deixar de lutar. 
Morrerei e não deixarei de lutar, onde quer que eu esteja.




Não vou editar o texto, to mto chateada pra isso, perdoem os erros de gramática, grafia e digitação;





Continue >>>
Share |

Dias ensolarados


E então qdo o tempo escurece em nossas vidas, os dias ficam cinzentos, tristes e eternos, vem o sol nos lembrar que nada é para sempre, tudo é provisório, a felicidade tem fim e tbm retorno.
Tudo o q a gente faz quando o sol reaparece é realizar nossa fotossíntese, abrir nossas folhas em direção do sol e curti-lo.
Não adianta fica se preocupando, se descabelando com a hora que ele resolverá ir embora. O importante é a fé de q ele voltará a brilhar e nós tbm.
Por mto tempo só vi dias escuros, nublados e chuvosos em minha vida.
Engraçado que eu chorava e sofria mto pq tinha plena consciência de q minha vida não era escura, mto pelo contrário, eu chorava por não conseguir apreciar o sol na minha vida, eu olhava o sol e o via cinza, molhado, sem brilho.
Foi preciso que algo acontecesse, em minha vida, foi preciso q escurecesse tudo a minha frente e quase anoitecesse para q eu pudesse entender e apreciar a luz do sol novamente.
Hj eu me sinto mto bem. Fico até impressionada com a vaga lembrança dos dias tristes. Não sei nem como eu conseguia enxergar somente a escuridão.
Não, não foi de uma hora para outra, não, não foi do nada, simplesmente, a minha vida mudou e eu mudei com ela.
Engraçado como Luís Fernando Veríssimo tinha razão: "Quando a gente acha q sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas".
Eu cheguei a pensar que minha vida não tinha mais solução, as respostas eram claras, viver não tinha mais sentido, era interessante e conveniente me perguntar sobre as razões e ter todas as respostas. Então, passei a vegetar, eu apenas existi por um bom tempo.
Um belo dia, a vida aprontou comigo, mandou-me um recado: Não minha querida, essas não são mais as perguntas que vc se deve fazer e lamento, terá que ir atrás das respostas. Mtas vezes será sozinha, outras vezes Deus colocará em seu caminho pessoas, anjos iluminados para lhe orientar e sim, vc vai entender e apreciar a vida novamente, mas, como nem tudo são flores, primeiro vamos sacudir essas suas perguntas e respostas de maneira que vc será testada.
A única resposta que permanecerá será: Não, não adianta fugir, vc vai viver!!!
E assim foi, minha vida ou algo parecido com ela foi destruída, virada de ponta cabeça, vi um furacão de emoçoes passar sobre ela, não restou quase nada e a primeira pergunta que eu me fiz foi: O que eu faço agora?
Admito que até hj eu não tenho essa resposta clara, mas na vida, sempre temos alternativas, não é?? Então, eu decidi seguir minha intuição.
Houveram tbm os anjos em minha vida, pessoas q apareceram e que faço questão de q permaneçam na minha vida.
Não foi de uma hora para outra, não foi do dia para a noite, nem o sol nasceu brilhante do nada em meus dias, mas sim, as perguntas mudaram, as respostas tbm.
Algumas vezes eu me pergunto se existe premonição, pressentimento, eu creio nisso, não nesse caso, no meu caso, mas sempre me pego me perguntando se eu já não sentia medo, se eu já não pude prever a escuridão que minha vida poderia se tornar, antes mesmo das perguntas serem alteradas para mim.
Talvez a vida tenha me preparado para sentir como é a escuridão e correr dela no momento em que eu ñ poderia me afundar em minha dor, afinal, enquanto eu estivesse chorando e lamentando a chuva, o vento e a escuridão, o anjo que Deus me abençoou, me confiou para tomar conta estaria à minguá, sem cuidados, sem o meu amor.
A grande resposta para todas as perguntas do mundo, está no AMOR.
O amor que eu tive q desabrochar pela vida, pela luta, pela persistência, me transformou.
O amor pelos meus filhos me fez voltar a viver.
Não sei se os dias ensolarados ficarão para sempre, aliás, tenho certeza de que não. Mas a parte boa disso tudo é que quando eu vejo nuvens no céu, eu já não sinto mais medo, qdo sinto trovões sobre minha cabeça eu só consigo pensar q não vai adiantar eu deixar meus sentimentos nublados junto com a situação, eu apenas tenho q enfrentar e esperar o sol.
Ah o sol!!
O Sol hj é meu melhor amigo e eu já nem tenho mais tanto medo do inverno como eu tinha antes.
E viva o Sol que hj brilha em minha vida. E viva a minha vida q hj é feliz tbm e principalmente, eu posso e sei aproveitá-la.
Viva as mudanças, as perguntas, as respostas. E pq não, algumas vezes, viva as rasteiras que levamos??

Que o sol brilhe mto em sua vida, hj e sempre.
Que quando o inverno chegar, vc esteja bem agasalhado com as lições da vida e tenha sempre o aconchego de uma bênção que é o amor para lhe aquecer.

Beijos
Continue >>>
Share |

O Meu Melhor

Desde o começo

Blog Archive

 

Viagem de mãe ♣ ♣ ♣ Mamanunes Templates ♣ ♣ ♣ Inspiração: Templates Ipietoon
Ilustração: Gatinhos - tubes by Jazzel (Site desativado)