Os olhos da esperança


Eu era uma pessoa sem esperança.
Eu não tinha fé.
O que é fé para você??
Para mim fé é acreditar. Acreditar no que??
Acreditar em tudo, é ver a luz no fim do túnel é entender que quando a luz está apagada é hora de esperar.
Mas pq sempre temos que esperar?? Esperar pelo que??
Pq ao contrário do que eu pensava, não tenho o comando de tudo; Esperar que as coisas se encaminhem conforme o necessário.
Muitos dias chorei por não saber esperar, tomava as decisões, caía, levantava, sofria, fazia sofrer, me magoava e magoava.
Eu não era nada e hoje sou apenas um instrumento dos acontecimentos, faço parte deles.
Acontece com todos nós, todos somos assim.
A vida toma seu curso e querendo ou não nos leva para o que ela quer.
Sempre achei que tinha dado o meu melhor para a vida, que era honesta, batalhadora, sofrida, que era uma boa mãe para minha filha, uma pessoa competente no trabalho e que tinha dificuldades de me relacionar com as pessoas.
De repente a vida me tirou tudo de uma forma estranha.
Eu tinha tudo, mas me sentia um nada. Esqueci totalmente o que era viver. A escuridão do túnel tomou conta da minha vida e eu não sabia entender e esperar que ela se acendesse e mais, não aceitava o fato da direção em que a luz acendia não ser a direção que eu desejava.
A fé acabou, a esperança tbm.
 Foi a primeira vez que eu morri.
Talvez as pessoas ao lerem o que escrevo, não compreendam a expressão morrer a qual me refiro.
Mas digo a vocês: não existe morte pior do que aquela que lhe deixa ainda no mundo, consciente de tudo o que acontece, mas impossibilitada de viver.
Sim, eu morri, ou como eu preferi dizer naquele dia estranho: "Serei como uma lagarta, vou para um casulo e renascerei."
Meus olhos se enchem de lágrimas ainda qdo penso nisso.
Como eu poderia ter tanta razão quando justamente a razão me deixou naquele momento???
Não tenho a resposta, talvez tivesse, não choraria.
E de que adianta viver quando não corre vida por suas veias?? 
Pergunta complicada de responder.
Era a pior crise depressiva da minha vida.
Era o fim??
Sim, era o fim.
Eu morri. Aquela Roberta não poderia mais viver dentro de mim.
Totalmente condenável aqueles acontecimentos daquele dia.
Mas incrivelmente, aquele dia eu tinha razão, tanto que chego a cogitar que naquele dia, nem estive dentro de meu corpo, tamanha razão que tomou conta de mim.
Morri e renasci. Não tive tempo de nada. 
Me vi sem nada, sem dignidade, sem paz, sem amor para dar, sem capacidade para receber e no outro dia, a vida, minha nova vida olhou para mim e disse: Se vira, você vai viver e pronto.
Um mês me adaptando ao "novo corpo" e com dois meses entendi o que realmente a vida queria de mim.
Brinco que eu tropecei no autismo.
Pq é um tropeço. Vc está caminhando pela vida, tentando entender todos os caminhos tortuosos, às vezes curte a paisagem, quando vem um buraco, você pisa e cai.
Posso afirmar que me sinto a Alice no país das maravilhas. Caí num mundo onde a vida tomou conta de mim.
Não sabia para onde eu ia, não importava tbm onde ia chegar, o importante era ver a vida onde quer que eu estivesse. Vi coelhos tbm, vi gatos, vi gente estranha e nesse buraco tbm tem a rainha má, como em todos os contos de fadas.
Vivo o meu conto de fadas hoje.
Nele, é diferente, os dias são de dar medo, os desafios aparecem e nos tentam destruir, mas à noite, quando tudo se acalma, ele vem, pega na minha mão, me leva para a cama e me empurra com seu jeito lindo de dizer: Mamãe, eu quero dormir.
Eu deito e ficamos nos olhando. Ele olha nos meus olhos e depois de um tempo desvia pq ele sabe que quando eu olho em seus olhos posso ver sua alma. Ele ouve meu olhar me perguntar o que tem lá dentro.
E mais uma vez vem a resposta:  Se você não sabe para onde vai, pq quer saber o caminho?
E eu continuo olhando os seus olhos e procurando a vida que não existe. Mas aí é onde está o segredo. A vida normal nunca me interessou, a vida normal nunca seguiu seu curso em minhas mãos e então eu fui premiada com a vida desconhecida.
Quando olho para dentro dos seus olhos e procuro a vida que não existe, vejo heranças daquela Roberta que não existe mais. Mas a Roberta de hoje chega logo, manda tudo isso embora e diz: a grande beleza da vida é poder enxergar beleza nas pequenas coisas.
Tanta vida eu tinha e não tinha visão para ver e hj agradeço a delicadeza de poder ver beleza nas pequenas coisas.
A graça de tudo está nisso.
Sentir o sabor do seu olhar, ter fome de amor, saber o cheiro da felicidade e ver que o sentimento é a base de tudo.
E quando ele olha nos meus olhos, ele sorri para mim, eu sorrio para os dele e eles desviam.
Quando ele fala comigo, não entendo sequer uma palavra, mas sinto tudo, sinto um amor invadir meu coração e me sinto especial. Meu Deus, como eu era carente, como é bom saber sentir alguém querendo sua presença, querendo seu toque, eu nunca soube sentir nada disso.
Nunca soube dormir agarrada em alguém, nunca soube o que fazer direito ao ouvir um "eu te amo", eu sentia medo.
Quando pisei no mundo da maternidade aprendi o que é o amor sem interesses, o amor de amar e pronto, o amor de vc ser vc mesmo e ainda assim fazer alguém feliz.
Mas o mundo nos atrapalha, nós não temos uma visão privilegiada de tudo. Então, enquanto eu me achava a melhor mãe do mundo para a Ana Laura, Artur veio me mostrar o que é o grande amor verdadeiro.
Hoje, sei amar qualquer pessoa. Sei amar minha filha muito mais do que antes e de quebra, como eu duvidava ser possível, aprendi que se pode amar duas pessoas exatamente da mesma forma, o amor de mãe DUPLICA e não se divide.
Sei compreender qualquer pessoa e aprendi tbm a ter o meu mundinho.
E é nesse meu mundinho, que divido com algumas pessoas, que aprendo a praticar o que é dormir agarradinha com alguém sem ter falta de ar, dormir ignorando o mundo lá fora, as pessoas do mundo que não convém e principalmente, aprendi a ter esperanças.
Não posso descrever como é seu abraço, mas é repleto de energia, de luz, é perfeito. Largo tudo na vida por um abraço seu e se estiver no banho, tomamos banho juntos para eu poder ter seu abraço.
Nos seus beijos babados eu me revigoro. Vc me beija com seus lábios, com seus olhos, com sua alma.
Em seus olhos eu vejo isso: a esperança.
A esperança do mundo, da vida, da luta, da paz.
Em seus olhos eu posso me ver.
Ver a mãe que me transformei, a mãe que eu gosto de ser.
Em seus olhos eu aprendi a compreender que para aprender coisas novas, vc deixa para traz muitas outras que aprendeu.
Então, não me apago nas suas palavras, nas suas músicas cantadas, eu me apego na sua vontade de falar, de cantar.
Em seus olhos eu me vejo crescer.
Em seus olhos eu posso ver que eu nunca fui nada.
E que eu sou uma pessoa melhor graças a vc.
Em seus olhos eu aprendi a viver.
Em seus olhos eu aprendi a amar, amar o mundo, a vida, as pessoas, as diferenças, a mim mesma, minha outra filha, meu marido, meus pais e tudo mais.
Em seus olhos me vejo simplesmente completa.
Nunca deixe de olhar para mim, Artur.
Pq quando eu não tinha mais vontade de viver, a vida ironicamente, me colocou no caminho alguém que eu precisava ensinar a viver.

E eu vivo, vivo a vida que não pedi a Deus, mas q não troco pela vida de ninguém. 


* totalmente inspirada em Dayse Luna e Amanda Cabral.!!!!

Continue >>>
Share |

O Meu Melhor

Desde o começo

Blog Archive

 

Viagem de mãe ♣ ♣ ♣ Mamanunes Templates ♣ ♣ ♣ Inspiração: Templates Ipietoon
Ilustração: Gatinhos - tubes by Jazzel (Site desativado)