Semaninha daquelas


Poxa vida, eu escrevi tanta coisa aqui, tanta coisa, mas a rede da Internet caiu e eu perdi tudo =/.

Mas, comecemos novamente.



Essa semana foi muito complicada por aqui.
Se na semana passada Artur estava doentinho, com sinusite e os pulmões carregadinhos, essa semana ele teve crise de insônia.
Tínhamos tudo para ter uma noite maravilhosa: domingo, frio, filhotes na cama comigo, tão gostoso e tão quentinho, mas eis q não era assim q o destino queria.
Artur não estava conseguindo pegar no sono, subiu no meu peito e ficou deitadinho, mas nada o deixava quieto, então eu me cansei e desci ele, coloquei na cama.
Foi o suficiente para q ele manifestasse toda a sua contrariedade e eu, achando q ele logo adormeceria com minhas musiquinhas e meu carinho, fui surpreendida por uma hora de choro incessante.
Fiquei muito triste, fiquei me perguntando pq eu não podia dormir, pq ele fazia aquilo comigo, pq as coisas tem que ser tão difíceis.
No outro dia era dia de acordar cedo e ele não me deixava descansar.
Foi qdo às três da manhã, me cansei de seu choro e resolvi ceder ao seu apelo.
Eu sempre ouvi dizer q não é correto atender às exigências pitorescas das crianças, às famosas birras, mas depois q me tornei mãe do Artur, eu passei a admirar as pessoas q fazem isso.
Ora, então o q as pessoas esperam que façamos??
Joguemos pela janela?? Q a gente desça a porrada neles??
É muito fácil falar, criticar, mas só vivendo a situação para tentar saber o q fazer, eu escolhi o amor.
E foi assim que decidi atendê-lo, desci as escadas e fomos para a sala.
Eram 4 da manhã e estávamos assistindo backyardingans.
A brincadeira era uma graça e tinha suas regras, claro.
Eu poderia fazer o q eu quisesse na sala, desde q não ficasse na frente do pc.
Eu podia deixar as luzes da sala apagadas e só deixar a do corredor e eu podia ficar deitada no sofá.
Ele tinha acesso livre na parte de baixo, inclusive podia ir na cozinha jogar as coisas da gaveta no chão.
E assim foi, eu continuava triste pq as coisas não eram como eu gostaria. Fiquei me culpando por tantas coisas e senti raiva de mim por sempre cometer o erro de justificar tudo de ruim q acontece, com o autismo.
É uma ligação perigosa, pois até pode ser justificada essa insônia pelo autismo, mas quem garante q se ele não fosse autista q ele iria estar dormindo?
Na luta para não adormecer, de repente vi Artur correr para o corredor e se esconder atrás da parede, depois, ele pulou na minha frente e disse: AIIIIIIIIIIII.!!!!!!!!!
Eu custei a acreditar, fiquei me perguntando: Será que ele está mesmo brincando de esconde-esconde comigo?
Então, ele se escondeu de novo atrás da parede e veio de novo  e apareceu, só q dessa vez, ele me deu um abraço tão, tão forte q eu desabei em choro.
E engraçado que quanto mais eu chorava, mais ele me apertava no abraço e mais eu chorava.
Fiquei pensando no quanto valeu a pena estar acordada, já eram mais de 5 da manhã e eu estava triste, queria dormir, mas se estivesse dormindo, não iria ver o meu filho crescer e então, pensei q pouco importava a hora q ele queria dormir, que ele resolveu crescer, eu apenas queria ver e pronto.
E assim foi até o dia clarear, brincando, amando, dando e recebendo carinho e eu me levantei do sofá feliz, abastecida pelo combustível mais milagroso do mundo q é o amor.
E assim tbm se foram mais dois dias e uma noite sem dormir, onde ele apesar de insone, demonstrou se desenvolver mais.
Enquanto ele esteve doentinho, nós ficamos muito mais com ele e notamos q ele aprendeu a nos chamar.
Papai = babaiêeee e Mamãe = mamamaiiiiii
E tudo fica mais diferente a cada dia q passa, uma relação fora do convencional e não menos especial.
E a gente vai aprendendo que as diferenças são essenciais, são importantes e gratificantes.
Eu estou aprendendo tudo, aprendendo com a vida e a cada dia q passa, agradeço a Deus por ter me enviado uma anjinho, esperto e único.
Share |

2 comentários:

Bla bla blás de uma gravidez... on 3 de julho de 2010 13:12 disse...

Amiga, a ultima coisa que Arthur queria era durmir, ele precisava de vc, vc tinha que ver o que ele queria te mostrar na hora que ele achou que fosse a hora!
As crianças não escolhem hora para nos supreender, e não pense que é só o Arthur que prefere passar a madrugada brincando, pq o Pedro tbm me faz dessas, o outro dia eu fico um caco...
O Arthur ta crescendo, aprendendo, te ensinando...

Beta, uma mulher em transformação on 4 de julho de 2010 11:19 disse...

Obrigada Fabi, foram duas noites cansativas, mas que valeram a pena mesmo.
Obrigada e beijos.

O Meu Melhor

Desde o começo

Blog Archive

 

Viagem de mãe ♣ ♣ ♣ Mamanunes Templates ♣ ♣ ♣ Inspiração: Templates Ipietoon
Ilustração: Gatinhos - tubes by Jazzel (Site desativado)