Cedendo à dieta Sem glúten e sem caseína.


Olha só gente. A Internet é maravilhosa.
Através dela eu conheci pessoas maravilhosas, que eu amo como amo minha família, pq de certa forma, as pessoas aqui tbm são a minha família.
Depois do diagnóstico do Artur, até mesmo antes, eu passei a ler muito sobre autismo, pois como eu disse antes, eu não sabia o q era.
Inacreditavelmente, a primeira coisa q eu tive acesso após quais os sintomas, foi à dieta alimentar.
Para quem não sabe, eu vou explicar o q EU, a mãe do Artur entendeu sobre a dieta que alguns autistas fazem e tem uma melhora significativa em seu comportamento e saúde.
E mais, lendo e conversando, eu descobri q atrás de muitas doenças, inclusive as respiratórias, podem se esconder muitos tipos de alergias a algum tipo de alimento.
Artur é muito alérgico, aliás, ele é como eu. Tenho alergia a remédios, a poeira e tantas coisas q até dá nervoso, principalmente picadas de insetos, pois aqui é uma área litorânea e os pernilongos fazem a festa conosco.

Mas pq eu tenho considerado a dieta?
Simplesmente pq ela sugere uma melhora para  meu filho.
Vou explicar de uma forma bem simplória, já q o q realmente interessa é compreender pq eu quero experimentá-la. Não vou me prender a termos , nem detalhes complicados:
Existem muitas pesquisas e testes alegando q o autismo não é apenas um problema relacionado ao cérebro.
Segundo as pesquisas, os autistas possuem uma bactéria no intestino q o deixa mais poroso e que essa porosidade impede q o intestino trabalhe corretamente.
Agora pense: se nós, ditos normais, temos problemas com o funcionamento do nosso intestino, estamos sempre sendo recomendados a fazer uma dieta balanceada. Imagine eles, que tem essas bactérias do mal dentro deles.
Daí entra a dieta alimentar.
Pois segundo as pesquisas, sem o bom funcionamento dos intestinos, pessoas autistas tem o seu comportamento alterado e até mesmo, perturbado pela falta de alimentos necessários para manter-se bem.
Engraçado é q eu agora não sei explicar pq, os autistas costumam ter intolerância à glúten e caseína e tantos outras substâncias contidas em alimentos industrializados.
Enfim, é hora de deixar o mundo moderno q procurar a qualidade de vida.
Não fosse as diarreias inexplicáveis do Artur, não fossem manchas vermelhas pelo corpo, as noites mal dormidas totalmente justificáveis pela falta de um bom funcionamento dos intestinos e não fosse principalmente a luta a todo custo por ver meu filho melhor, acho q eu não cederia.

Mas uma dieta alimentas sem glúten e sem caseína não é uma tarefa fácil.
Ainda mais para uma pessoa como eu q não posso me dedicar exclusivamente ao meu filho, q tem outra filha e um emprego para administrar.

O que eu não posso negar é que essa dieta é um desafio.
Não apenas pq pode ser q meu filho tenha dificuldade de se adaptar a ela, mas ela é um desafio para mim.

Eu odeio regras, eu sou  totalmente avoada, vejo uma melhora nas coisas e já quero elas novamente do meu jeito. Eu não consigo me adaptar a nada q eu não possa deixar de lado qdo eu enjoar e eu enjoo facilmente das coisas.
Por isso decidi q essa dieta será introduzida aos poucos.
Gostaria muito de vestir a roupa de briga e poder dizer: De hj em diante, minha família, meu filho vai ser descrito por antes e depois da dieta.
Mas não, sei q eu sou uma pessoa difícil, sei das minhas limitações e antes mesmo q cuidar das do meu filho, eu preciso tratar essas em mim tbm.
Como a própria mãe de um autista sugere e indica a dieta diz: A dieta não vai salvar seu filho, deixá-lo livre do autismo, mas vai dar-lhe qualidade de vida, como daria a qualquer pessoa q a fizesse.
Então, eu preciso ir com calma entender q nós precisamos dessa qualidade de vida e colocar na minha cabeça q é uma busca incessante e q eu preciso conquistá-la.

Hj eu consegui fazer meu primeiro prato com a dieta.
Tudo bem q eu não tinha o óleo vegetal e q a receita é muito besta.
Mas eu fiz. Eu consegui e ficou delicioso o creme de cebola com batata q eu fiz.
Não irei colocar a receita aqui. Não é meu intuito e tbm pq eu sou totalmente a favor de dar os créditos a quem realmente os merece.
Eis o link com a  receita: Dieta sem glútem e sem caseína
de Cláudia Marcelino, uma mãe mais q especial. Que consegue fazer a diferença para seu filho e para os filhos de muitas mães aflitas como eu.


Depois de mais de uma semana doente. Com sinusite e começo de pneumonia, vi Artur comer, comer com prazer o creme gostoso que eu fiz com mais amor que qualquer outra comida.
E assim eu vou, caminhando, um dia de cada vez e seja o q Deus quiser.
Quem quiser, pode viajar comigo tbm.

Bjo

o endereço da foto é do blog: Dieta sem glútem e sem caseína
De Cláudia Marcelino.
Share |

2 comentários:

Bla bla blás de uma gravidez... on 24 de junho de 2010 15:22 disse...

Beta, como eu te admiro! Agora lendo seu post descobri que somos pareçidas em algumas coisas, tbm sou uma pessoa que enjoo logo das coisas por isso tenho que ir devagar pra não cançar e assim não enjoar!
Que iniciativa linda que vc ta tomando, imagino como não é fácil pra vc lidar com as diferenças de seu filho, mas acredito que vc irá melhorar muito a qualidade de vida dele introduzindo essa nova alimentação, e te digo, é questão de hábito, vc vai ver, quando menos esperar vc vai estar cuzinhando da maneira que deseja sem esforço algum. Vc pode começar com uma refeição ao dia, e assim vão se adaptando.
Estarei aqui torçendo por vcs, e enquanto leio seus posts vou apreendendo um pouco mais sobre o autismo.
bjos cm muito carinho em vc e no seu principezinho!

Juliana on 29 de junho de 2010 00:11 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

O Meu Melhor

Desde o começo

Blog Archive

 

Viagem de mãe ♣ ♣ ♣ Mamanunes Templates ♣ ♣ ♣ Inspiração: Templates Ipietoon
Ilustração: Gatinhos - tubes by Jazzel (Site desativado)